8 de jun de 2009

Querido diário... (parte 1 de várias)

- As pessoas reclamam da rotina, eu inclusive. Quem reclama da rotina, acaba criando outra rotina. A rotina de reclamar.

- Mês passado, trabalhei que nem um louco. Até aceito o rótulo de louco. Pior é ser chamado de vagabundo.

- Não entendo as pessoas que dizem o seguinte: "Fulano é meu amigo pessoal". Que eu saiba, não há amigos impessoais. Ou há, sei lá. Hoje em dia tem gente que namora virtualmente e nunca se viu mais gorda. E nem menos magra.

- Para algumas milhares de pessoas, novela é vício. Para outras, um barato. Eu acho um porre.

- Quer coisa mais chata que ver alguém se autoproclamar doidinho em roda de amigos e familiares? "Ai, só eu mesmo pra ser louco assim"... Esse tipo de gente deve se imaginar num seriado de TV americano, com as risadinhas ensaiadas ao fundo e tudo.

- Em breve ganho um segundo sobrinho. Definitivamente, sou um tiozão.

- Conheci uma pessoa linda há dias. As nossas óbvias diferenças só ressaltarão nossas aparentes afinidades. O que não é tão óbvio, nem tão aparente. É conviver pra crer.

- Tô até vendo um amigo dizer, com sua risadinha irônica: "O Érico e suas frases de efeito..." Acho que estão mais para frases-defeito.

Um comentário:

Fabio S disse...

As pessoas que se proclamam "doidinhas", "loucas", é vero, como diriam os italianos do Benedito Ruy Barbosa... são altamente irritantes.
Sobre o Miguelzinho, o segundo sobrinho citado, e não por acaso meu filho, agradeço a citação.
Abraço!