17 de jun de 2013

Amor no coração

Você sai de casa com a calça sempre arrastando no chão. Porque compra sempre a calça com as pernas mais longas que seu corpo. Manda fazer a barra, encurta a calça. E sempre fica sobrando.

Você resolve cortar o cabelo num lugar diferente, porque está com pressa, não pode ir no lugar de sempre. Aparar o que lhe resta de cabelo, na verdade. Relevando esse mísero detalhe, você pede ao cabeleireiro que lhe raspe a cabeça, máquina 2, por favor. E ele executa o serviço quase lhe executando. Parece que vai cortar sua cabeça, não apenas seus quase inexistentes cabelos.

Você entra num ônibus, com calças arrastando e cabeça em chamas. E assiste a uma cena digna de filme. Um casal, de olhos fechados e rostos colados, beija-se apaixonada e entusiasticamente. E você olha admirado, em vez de virar o rosto, como sempre faz. 

Pode ser que a cena desapareça da sua memória, substituída por apelos mais urgentes do cotidiano. Pode ser que isso não o faça acreditar no amor. 

Mas a cena e o casal servem para lhe acender a esperança. Ao menos a esperança que no dia seguinte, você possa comprar uma calça com uma medida decente. E que você encontre um cabeleireiro que conserve sua cabeça acima do pescoço.

14 de jun de 2013

... e tenho Dito

Após 8 anos de hibernação, DITO, O BENDITO volta com tiras inéditas no site da editora Marca de Fantasia. 

http://www.marcadefantasia.com/ 

Dito está junto às tiras de Henrique Magalhães (Maria) e Edgard Guimarães (Cotidiano alterado).   
Quando menos o leitor esperar, haverá uma tira nova no site. 

O livro do DITO pode ser adquirido por um preço camarada (instruções para compra na barra lateral esquerda).

10 de jun de 2013

Bodas e Desbodas





















Fiz uma "participação especial" na crônica mensal de minha amiga Carla Ceres no Diário do Engenho. O desenho acima ilustra o texto Bodas e Desbodas. A Carla tem um senso de humor impagável. Vale a pena a leitura!

8 de jun de 2013

Mais gatos

Outro dia, postei aqui um desenho de gato. Essa semana, ganhei um felino lindo, criado e emoldurado por uma amiga querida e talentosa. Hoje, voltei a desenhar um bichano, ato de gratidão a ela.