31 de mai de 2011

20 anos de humor nos Salões da vida

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba divulgou as novidades da sua edição número 39.

Entre as novidades (nomes dos júris de seleção e premiação e mostras paralelas), uma me deixa muito contente: a mostra comemorativa dos meus vinte anos de carreira.

É hora de dividir a alegria de ter percorrido esse caminho de mãos dadas com o respeitável público: você.

Além disso, estarei no júri de seleção do Salão Universitário de Humor da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), no dia 6 de junho. No dia 11, abre esse Salão no Campus Taquaral da universidade.

O Salão Internacional de Humor, com a mostra principal e muitas outras espalhadas pelo Engenho Central e outros espaços culturais de Piracicaba, abre no último final de semana de agosto.

Quem puder, prestigie o melhor humor do mundo! É só aguardar.

27 de mai de 2011

Mais uma menina que vem e que passa: Janaynna

Entre cliques em links e digitações nervosas na internet, descobri mais uma cantora nova: Janaynna.

Apesar desse nome, em que bastam letras dobradas para denunciar analfabetismo funcional travestido de originalidade, a curiosidade me venceu. E fui atrás de informações a respeito da moça.

As fotos na busca do Google, que me apresentaram à figura curvilínea da intérprete, já seriam suficientes para intensificar minha salivação por algum tempo, liberando cachoeiras de baba nunca dantes expelida.

Porém... há sempre um porém. Eu buscava as canções da sensação sertanejo-pop do momento, e não a musa da internet da semana. Respirando fundo e emitindo pigarro típico de homens confiáveis, descobri as músicas do CD “Ao Vivo em Campo Grande”.

Faixa a faixa, percorri os berros dos novos fanáticos pela nova cantora, nem tão nova assim, tendo gravado outros CDs antes desse. O hit “Sacanagem sua”, em que Janaynna expôe uma espécie de feminismo baladeiro, me chamou a atenção, entre diversas músicas nem tão diversas entre si.

A histeria dos fãs na gravação ao vivo, o repertório com pegada luanssantânica, não ofuscam a cantoria da matogrossense, agradável na maioria das músicas. Mesmo com as influências indeléveis das filhas de Madonna, o timbre de Janaynna é bonito.

Dando uma olhada em vídeos de Janaynna na internet, deu para concluir mais alguma coisa. Os atributos físicos da cantora não estão à mostra para esconder uma eventual falta de talento. E o pique do espetáculo, ligeiro como um carro de Fórmula 1, pode deixar o público sem fôlego, mas não é de um exagero vulcânico como o de Ivete Sangalo, por exemplo.

Resta saber se a paixão das massas pela neossertaneja será passageira. Mas isso só o tempo dirá. Tempo que corre diferente nas redes sociais da internet, nas baladas de fim de semana, nos desejos dos adolescentes, na anatomia das sex-simbols.

26 de mai de 2011

Últimos dias para ver Benito Di Paula...

... ou melhor, a caricatura de Benito Di Paula e de outros cantores, na mostra de caricaturas "A MPB antes do MP3", no Ponto de Cultura Garapa, em Piracicaba.

Detalhes aqui.

23 de mai de 2011

Caricaturas que foram uma festa

Acabou a Festa das Nações, em Piracicaba.

E acabou nossa maratona de caricaturas ao vivo, no estande do jornal Tribuna Piracicabana.

Na última semana, no enorme espaço do Engenho Central, às margens do Rio Piracicaba, milhares de pessoas comeram e se divertiram nas barracas das entidades assistenciais da cidade.

Essas pessoas viram os espetáculos de dança e música. E visitaram os estandes das empresas, instituições, imprensa e secretarias municipais.

No estande da Tribuna, onde fiz caricaturas nas capas do meu jornal Caricaras, cerca de duas centenas de pessoas me honraram adquirindo exemplares do sétimo número.

Muitas dessas caricaturas nas capas já estão em perfis do Orkut. E sendo colocadas em molduras para enfeitar as paredes de quem as adquiriu, como já tive a chance de ver em diversas ocasiões.

Além do respeitável público, colegas e amigos passaram para deixar seus abraços e sorrisos.

Depois da maratona dos dias de Festa, só posso deixar meu muito obrigado aos que mantém acesa a chama do bom humor.

É uma felicidade trabalhar para gente tão receptiva e bem-humorada.

Até a próxima!

21 de mai de 2011

Uma caricatura, a cobaia e seu algoz



A foto aí de cima foi feita no estande da Tribuna Piracicabana na Festa das Nações, em Piracicaba, onde tenho feito caricaturas ao vivo, nas capas do meu jornal Caricaras.

A vítima... ou melhor, a caricaturada, é a escritora Carla Ceres, recente e talentosa amiga.

Cronista de mão cheia, colunista do Digestivo Cultural e premiada mundão afora, mantém um blog com sua produção literária.

Pra quem ainda não apareceu na Festa das Nações, que vai até domingo, faça como ela: vá ao estande da Tribuna bater um papo comigo e fazer sua caricatura.

Tô te esperando!

18 de mai de 2011

Um jornal que é a sua cara, pela sétima vez

O sétimo Jornal Caricaras marca presença a partir de hoje na Festa das Nações, no Engenho Central em Piracicaba, no estande do jornal A Tribuna Piracicabana.

A capa da nova edição está ao lado. Mas falta a sua caricatura nela. Caricatura que eu desenharei no seu exemplar do jornal, só pra você. Porque esse é o único jornal que é a sua cara. De verdade!

Estaremos na Festa, eu e os exemplares novos do Caricaras, de hoje, dia 18, ao próximo domingo, dia 22 de maio.

Prestigie a Festa das Nações. E faça a sua festa comigo no Engenho Central! Até lá.

11 de mai de 2011

Livros ao vivo


Dos trabalhos que fiz até agora, a oficina de livro ao vivo com crianças tem sido um dos mais significativos.

A atividade gerou livros que podem ser lidos por quem se interessar.

As obras estão disponíveis na barra direita do blog. Clicando nas capas dessa tag, você vai direito aos livros, que podem ser lidos virando-se as páginas e tudo.

Desde 2005, desenvolvo oficinas de arte onde crianças de 8 a 10 anos criam livros do começo ao fim. Uma ideia é proposta, a partir dela os participantes da atividade criam desenhos dos personagens, situações e conflitos, até o final.


Feita a história e os desenhos, vou para casa e diagramo o livro, escolho os desenhos que irão compor a obra e imprimo alguns exemplares.

Na semana seguinte à oficina, fazemos, no mesmo lugar onde foi feita a atividade, um dia de autógrafos com as crianças.

Os desenhos não-escolhidos para o livro compõem uma exposição. Ou seja: ninguém fica de fora da atividade e do livro, de um jeito ou de outro.

Além da participação fundamental dos grupos de crianças em cada projeto, dois artistas e amigos de primeira emprestaram seus talentos às obras.


Um é o cartunista Spacca, autor de biografias em quadrinhos de Santos Dumont e D. Pedro II. O outro, João Carlos Marinho, consagrado escritor de Sangue Fresco e O Gênio do Crime.

Trabalhar com amigos e crianças dessa qualidade é sempre um prazer. Em breve tem mais oficinas.

7 de mai de 2011

Um quase-torcedor do XV de Piracicaba

Fiquei besta com duas bombas em 2011.

A primeira bomba: meus vinte anos de carreira como cartunista. A gente nunca acha que o tempo vai passar. E vem essa marca para confirmar as outras marcas que o tempo deixa na gente.

A segunda bomba: a ascensão do XV de Piracicaba à elite do futebol paulista. A gente nunca achava que o time sairia do repertório de piadas sobre times ruins.

Já que o tempo, sempre ele, fez questão de trazer essas duas bombas, que em nada se comparam às bombas que nos atiram a todo instante, pelas mais diversas mídias, o melhor é acusar o tranco e seguir em frente, mesmo descadeirado.

E descadeirado é o que tenho ficado, nas pesquisas de material para a mostra dos meus vinte anos de carreira.

Fuçando nos meus arquivos, encontrei algo espantoso para um nerd como eu, que nunca ligou para futebol... Um gibi com a história do XV de Piracicaba!

Aos dez anos de idade, eu e meu irmão Fábio fizemos quadrinhos para um concurso da Secretaria de Educação de Piracicaba. Ele fez um gibi a respeito da história da cidade, olha só. Eu me meti a fazer um resumão da história do XV de Piracicaba, num gibi de doze páginas.

Minha fonte de pesquisa era a meia-página semanal do jornalista Rocha Netto, dono de um dos maiores arquivos de futebol do Brasil. A tal meia-página saía no Jornal de Piracicaba. Era a história completa do time da cidade! Deu um livrão, publicado logo após o fim da seção no jornal.

Anos depois, na década de 90, tive o prazer de cruzar com o simpaticíssimo "seu" Rocha Netto na redação do mesmo jornal onde ele publicara sua pesquisa, eu ilustrador do suplemento infantil.

Após a morte de "seu" Rocha, o arquivo foi para a Universidade Metodista de Piracicaba. Vivo fosse, acho que ele adoraria ver o XV na primeira divisão.

Quanto ao meu gibi precoce... Ganhou prêmio no tal concurso da Secretaria de Educação. Fui levado para a entrega do mimo na Secretaria: um livro chatíssimo e mal-impresso, falando de justiça social. Mas não se pode querer tudo.

Ou melhor... pode-se querer, sim. Justiça social, por exemplo. E o XV na elite do futebol paulista.

6 de mai de 2011

Mais um jornal que é a sua cara

Depois de seis edições e seis mil caricaturas nas capas, o Jornal Caricaras está de volta.

Se você pensa que a capa do Caricaras é sempre a mesma, como a capa do novo número ao lado, está redondamente enganado.

Cada capa é a cara do leitor que adquire o exemplar. Portanto, a capa anterior nunca será igual à capa seguinte. Nem o leitor será o mesmo após conhecer o jornal.

Em breve, estaremos num evento tradicional de Piracicaba, com a sétima edição do jornal que ainda é a sua cara.