13 de mai de 2012

As aventuras de um legítimo repórter

Esse cara eu sempre imaginei nas ruas com aquele chapéu escrito "imprensa", o bloco e a caneta nas mãos, correndo atrás de boas histórias.

Esse é o típico repórter que a gente via no cinema. Fazendo o jornalismo que a gente imaginava que poderia ser.

Ele já contava histórias desde sempre, fazendo tiras em quadrinhos na Bahia. Inquieto, começou a publicar fanzines por lá, logo iniciando sua carreira de repórter.

Finalmente, desembarcou em São Paulo, fazendo parte da brilhante equipe reunida por Daniel Piza para o caderno cultural da Gazeta Mercantil.

De suas entrevistas com os pioneiros da televisão do Brasil, extrairia o livro Pais da TV. Das histórias dos quadrinhos brasileiros, com direito a Roberto Marinho e Adolfo Aizen como personagens, faria o livro A Guerra dos Gibis. Da cultura pop em sua amplitude, continuaria fuçando as gavetas.

E assim Gonçalo Junior vai vivendo suas aventuras. E contando tudo para quem as queira ouvir. Inclusive eu.

Nenhum comentário: