9 de mai de 2012

"Causos" de amor que causam

1. O par perfeito é aquele que lhe contempla com uma franqueza digna dos verdadeiros enamorados.

É o caso do par perfeito do apaixonado que tecia loas e mais loas ao seu amor.

Impávido no banco aconchegante da calma pracinha do interior, prometia ao seu par rios e oceanos, céus e terras, universos e galáxias. Tudo em nome do amor eterno.
Suando em bicas, vertendo mais líquido que a biquinha mais próxima, o apaixonado disparou a pergunta fatal e definitiva ao seu par perfeito:
- O que mais eu posso lhe prometer para merecer o seu amor?

O par perfeito, com toda a capacidade de compreensão de que era capaz, respondeu calmamente:

- Prometa que vai me levar pra outro lugar bem longe daqui. A praça inteira está rindo de você.


2. O par perfeito é aquele que lhe dá apoio em todas as horas, em todos os momentos da vida a dois.
É o caso do par perfeito daquele escritor que demorou três anos para revisar sua obra reunida, finalmente editada em dez volumes no mais fino papel-bíblia.
O par perfeito acompanha o exausto e alquebrado escritor, sua cara-metade da vida toda, à noite de autógrafos da obra completa.
Na volta feliz para casa, o par perfeito, numa demostração final de zelo antes do sono dos justos, sopra ao ouvido do exausto escritor:

- ... mas aquele "excessão" na página 534, hein, que papelão!


3. O candidato a par perfeito daquela que julga ser a sua cara-metade não mede esforços para ser gentil com a amada.
No dia do aniversário da sua potencial cara-metade, data que ele sempre se lembra com um tapão na testa no final do dia fatídico, ele resolve dar um presente diferente.
Que tal um carro de som, com direito a mensagem romântica com voz de locutor, rosas jogadas sobre a aniversariante, canções de Fábio Jr. e Roupa Nova, tudo na portaria do trabalho da amada? Bingo!
Carro contratado e encaminhado ao trabalho da cara-metade, ele a encontra no fim do dia, para certificar-se do sucesso da empreitada romântica.

- E então, meu bem? Gostou do presente?

- Presente de grego! Meu chefe viu aquele carro de som fazendo escândalo na portaria, perguntou de quem era, falaram que era meu. Fui demitida!

Um comentário:

Carla Ceres disse...

rsrsrs A terceira história pode muito bem acontecer, Érico. Beijos!