2 de ago de 2009

Mais um punhado de frases de efeito (e outras mumunhas)

- Memória de computador é igual à de namorada em fase de rompimento com o namorado. Se o cara faz uma bobagem, a memória dela apaga tudo.

- Não sei dançar. Não sei nadar. Não sei dirigir. Não sei dizer sim.
- Internet não embrulha peixe. Jornal ainda serve pra alguma coisa.
- A febre do momento é a gripe suína.

- Para ser terno não precisa integrar o estoque de uma loja de artigos masculinos.
- É possível dar uma gravata com elegância? Que isso dá pano pra manga, dá.
- Adorava o namorado, mas não o entendia. Ela havia encontrado uma alma gênia.

- "Feriado de segunda" não é um feriado prolongado. É um erro de português.
- "Quem é vivo sempre aparece", disse o ex-BBB.
- Quem é vivo sempre aparece. E o Michael Jackson?

- Lula fala o que bem entende. Do que não entende.
- Quem bebe, toma. Naquele lugar.

- O cúmulo do espírito competitivo é a obssessão pela vitória em um jogo de palavras.
- Quem perde, ganha. Aborrecimentos.
- Os opostos se distraem.

- Há quem se preocupe em vencer. Eu ando preocupado com meus vencimentos.
- Mulher bonita eu sigo fora do Twitter.
- O que é pior: sorriso amarelo ou risada sem graça?

- Mulher chata só se expressa com bravata.
- Em homem legal, mulher acredita mal.
- Homem feio diz na cara a que veio.

- Mulher bonita a outra mulher evita.
- Quem fala bastante não me diz muito.
- Jogou a toalha. Desistiu de fazer a água do chuveiro esquentar.

- A Maysa era imprópria para menores. A Maísa é uma menor imprópria.
- Diante do disse me disse, a fofoqueira disse: "Não diga!"

- "Falem mal, mas não falem de mim!" , disse a futriqueira.
- Fusões entre empresas fundem a cabeça de seus empregados.
- No documentário sobre Caetano, tem gente mais interessada em ver os documentos dele.

- Gripe suína é uma porcaria.
- Em dias ocupados, falta do que fazer faz uma falta.
- Quem mete o nariz onde não é chamado tem faro pra confusão.

- Seu maior problema era arrumar soluções.
- Armar barraco não é apenas ato de favelado.
- Você tem razão. Eu tenho razão. Nós temos nossas razões.

- Quem exercita a ambiguidade consegue enxergar o outro lado.
- Fazer o bem sem olhar aquém.

- No Brasil, solidário tem outro nome: otário.
- No Brasil, gentil tem outro nome: servil.

- "Tipo assim": dica sucinta, de diretor de teatro a ator, pra compor o personagem da peça.
- Pegam muito no pé do Ronaldo. Signiificativo, em se tratando de um jogador de futebol.
- Só existe o óbvio quando alguém o comete.

- Madrugada é um período bom para produzir. Reproduzir também.
- Conto do vigário não é um ato cristão.
- Convalescendo, Ronaldo aproveitou e fez lipo, o que foi uma mão na roda. Hahaha!

- Moçada na balada não é de nada, disse o velho na sacada dando patada e não suportando o som da pesada.
- "Minha nossa! Levantei com o pé direito!", gritou o supersticioso canhoto.

- Nos escritórios de advocacia, os móveis são de madeira de lei?
- Cara de pau é ecologicamente correto?

- Passou por uma morena de cair o queixo. Caindo de boca na oportunidade, assobiou pra ela. Ignorado pela morena, sua cara caiu no chão.
- Sarney censura Estadão via juiz. Senador e seu amigo perderam o juízo.

Nenhum comentário: