3 de mar de 2013

É pau, é pedra, é o fim da picada

Quando é preciso percorrer ruas e avenidas em busca de uma rua ou uma avenida, daquelas que a gente jamais iria nesta ou numa outra vida, o negócio é respirar fundo. Porque depois, com o sol batendo na sua cara feito um lutador de MMA ensandecido, vai faltar ar.

Pergunta daqui, pergunta dali. Ninguém das padarias, das lojas de 1 e 99, das farmácias, das papelarias, dos bancos, dos pontos de ônibus, ninguém do universo sabe onde fica a tal rua ou avenida que você procura.

Tudo bem que ninguém do universo é obrigado a ser um GPS ambulante. Mas bem que poderia aparecer uma alma boa para lhe dar uma luz. Por enquanto, é a luz do sol que continua batendo na sua cara. E a busca continua, sem ser no Google.

Quem espera sempre alcança, e quem anda sempre chega. A rua desconhecida aparece. Só que a loja está fechada... O ar volta, para a emissão de um profundo suspiro.

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Realmente, grande verdade... Só que hoje, dá até medo em perguntar por ai... pois poderemos ter surpresas nada agradáveis...
Abraço, Érico.
Célia.

Carla Ceres disse...

Rapaz bem educado que você é, Érico! Suspiro? Eu emitiria um profundo palavrão. :) Texto muito legal. Beijos!