21 de jan de 2012

Os Quinze de Piracicaba

O XV de Piracicaba está de volta à divisão de elite do Campeonato Paulista e à boca do povo. O time de futebol que muitos conhecem apenas pelas piadas do Casseta & Planeta, programa que andava com a bola murcha.

Falando em humor, o time tem lá suas ligações com o humor praticado em Piracicaba. Mesmo que apenas para efeito de trocadilho.

Em 2003, o Salão Internacional de Humor da cidade publicou, em parceria com a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, o livro Os Quinze de Piracicaba.

O projeto do livro surgiu a partir de conversas com os cartunistas da cidade e o Salão. Gualberto Costa, que em dupla com Jal inventou o Troféu HQ Mix e por vários anos esteve envolvido com o evento, sugeriu uma obra reunindo os cartunistas piracicabanos de várias gerações.

Em Salões anteriores, houve mostras paralelas dos artistas agrupados sob a alcunha "Pamonhas de Piracicaba". Para não ferir colegas mais sensíveis ("Eu não quero ser chamado de pamonha!"), optou-se por expurgar do livro qualquer referência ao puro creme do milho verde.

Quinze praticantes do humor caipira compuseram a obra. Este cartunista que vos digita, junto a Edu Grosso, atual comandante do Salão de Humor, fomos os editores da obra. Na época, a tarefa de selecionar quinze artistas se mostrou complicada, entre seres vivos, mortos e muito vivos.

Além do prefácio-bênção de Zélio Alves Pinto, irmão de Ziraldo e um dos fundadores do evento, coube a mim a tarefa de contar a história do humor gráfico de Pira. Uma história que, felizmente, ganhou novos personagens e episódios desde então.

O livro ainda está em catálogo e à venda: aqui e aqui. Ainda que sejamos uns pernas de pau, os cartunistas da obra estão dispostos a aceitar pedidos de autógrafo.

Nenhum comentário: